Conferencistas

 

  • Aparecido José Cirillo
Aparecido José Cirillo

É pesquisador vinculado ao GEPPC/LEENA-UFES (grupo de pesquisa em Processo de Criação); Professor Permanente do Programa de Mestrado em Artes (PPGA/UFES) e do Programa de Mestrado em Comunicação (PPGCS/UFES) e artista plástico. Possui graduação em Artes pela Universidade Federal de Uberlândia (1990), mestrado em Educação pela Universidade Federal do Espírito Santo (1999); doutorado em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2004) e Pós-doutorado em Artes pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa. Atualmente é professor Associado da Universidade Federal do Espírito Santo. Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Artes Visuais e Teorias e História da Arte, atuando principalmente nos seguintes temas: artes plasticas contemporâneas (em especial no Espírito Santo), escultura, arte pública; teoria do processo de criação e arquivos pessoais; cultura, memória e patrimônio. É editor da Revista Farol e membro do conselho científico da Revista Estúdio e da Revista Manuscrítica. Foi diretor do Centro de Artes da Universidade Federal do Espírito Santo de maio de 2005 a janeiro de 2008 e Presidente da Associação de Pesquisadores em Crítica Genética (2008-2011).

  • Aurèle Crasson (ITEM)
41y2PVKVsXL._UY250_

Arquiteta, Vice-diretora do Instituto de Textos e Manuscritos Modernos do CNRS (ITEM). Seu trabalho de pesquisa sobre os processos de criação se articula em torno de dois objetos: os manuscritos de escritores e a fotografia de autor. Ela se interessa especialmente pelas marcas que conduzem à produção de uma obra e sua interpretação.
Ela publicou em particular: “L’œuvre d’Edmond Jabès peut-elle se lire sous forme de 0 et de 1 ? » in Portraits d’Edmond Jabès (BNF / Le Seuil, 2000), « Genèse et Hypertextes : échange de partitions » (Diogène, 2001), « Du corpus à la région : représentation multi-échelle pour les manuscrits modernes » (Linguistica computazionale, 2004), « Récit d’Edmond Jabès, les cinq états du manuscrit » (Textuel, 2005), « L’édition du manuscrit. De l’archive de création au scriptorium électronique » (Academia-Bruylant, 2008). A-repentirs ou l’écriture de l’indécidable in Ecritures du XXIème siècle. Genèses in vivo. Claudia Amigo Pino, Irène Fenoglio et Veronica Galindez Jorge (dir). Eds du Manuscrit, coll. Ecritures du XXIème siècle. 2012. Genesis n°37 : Verbal/non verbal. Aurèle Crasson et Louis Hay (dir). Pups, Paris 2014. “Cela a eu lieu / comme jamais ne fut ou sera : Le livre comme lieu d’un film inabouti” in A escritura de Edmond Jabès: Livro, Palavra, Relato e Voz. Dir. Éclair Antonio Almeida Filho, 2015. Retour sur la lecture à voix haute de manuscrits d’auteurs : Traits et engagement des généticiens : entre substance graphique et littérarité. La génétique des textes et des formes : L’Œuvre comme processus, sous la direction de Pierre-Marc de Biasi et Anne Herschberg Pierrot, CNRS Editions, mai 2017. La Fabrique photographique des paysages. G. Andries-Roussel, A. Crasson, M. Sicard (dir). Eds Hermann, (à paraitre, 2017)

 

  • Cecília Almeida Salles (PUC-SP)
cecilia salles

Tem graduação em Língua e literatura inglesas pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1976), mestrado em Lingüística Aplicada e Estudos de Línguas pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1981) e doutorado em Lingüística Aplicada e Estudos de Línguas pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1990). Atualmente faz pós-doutorado no Departamento de Cinema, Rádio e Televisão da Escola de Comunicação e Artes de Universidade de São Paulo. É professora titular do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Semótica da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. É coordenadora do Grupo de Pesquisa em Processos de Criação. É autora dos livros Gesto inacabado: Processo de criação artística (São Paulo, Intermeios, 2011), Crítica Genética: Uma (nova) introdução (São Paulo, Educ, 2000), Redes da Criação: Construção da obra de arte (Valinhos, Editora Horizonte, 2006), Arquivo de criação – Arte e curadoria e do CDRom Gesto Inacabado: Processo de criação artística (Lei de Incentivo a Cultura do Estado de São Paulo, 2000). Tem experiência na área de Comunicação, atuando principalmente nos seguintes temas: comunicação, processos de criação, semiótica, crítica genética e artes.

  • Daniel Ferrer (ITEM)
Daniel-small150

Daniel Ferrer é diretor de pesquisas emérito no CNRS. Foi diretor do ITEM de 1994 a 1998 e de 2004 a 2006. É o redator chefe da revista Genesis.Ele publicou trabalhos sobre Joyce (mais de 70), sobre Faulkner, Poe, Stendhal, Flaubert, Zola e Hélène Cixous, sobre a teoria literária, a pintura, as humanidades digitais e a crítica genética de cinema. Sobre a crítica genética, ele publicou as seguintes obras: L’écriture et ses doubles : genèse et variation textuelle, Éditions du CNRS, 1991, Genèses du roman contemporain : Incipit et entrée en écriture, Éditions du CNRS, 1993, Pourquoi la critique génétique? Méthodes, théories, Éditions du CNRS, 1998, Bibliothèques d’écrivains, Éditions du CNRS, 2001, Genetic Criticism: Texts and Avant-textes, Pennsylvania U. P., 2004, La Textologie russe, Éditions du CNRS, 2007, Logiques du brouillon: modèles pour une critique génétique, Seuil (Collection « Poétique »),  2011).

  • Eneida Maria de Souza (UFMG)
ENEIDA

Professora titular em Teoria da Literatura da UFMG; professora Emérita da UFMG; graduada em Letras pela Universidade Federal de Minas Gerais (1966), mestre em Letras (Literatura Brasileira) pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1975) e doutora em Literatura Comparada – Semiologia – Université de Paris VII (1982). Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Teoria Literária, atuando principalmente nos seguintes temas: critica cultural, dependência cultural, Mário de Andrade, biografia literária e critica brasileira. Últimos títulos publicados: Critica cult (2002-2007); Pedro Nava- o risco da memória (2004); Tempo de pós-critica (2007/2011), O século de Borges, (2a edição, 2009), Correspondência – Mário de Andrade & Henriqueta Lisboa, Organização, introdução e notas (2010)- Prêmio Jabuti 2011; Janelas indiscretas – Ensaios de crítica biográfica (2011), Tempo de pós-crítica, 2a. edição (2012); Modernidade toda prosa, em coautoria com Marília Rothier Cardoso (2014). Participa do Projeto do Acervo de Escritores Mineiros da FALE/UFMG, com a pesquisa “Retratos da cultura popular: diário. ficção, iconografia” (2016/2021).

  • Graciela Goldchluk (Universidad de la Plata)
00-0622

Graciela Goldchluk é doutora em Letras pela Universidad Nacional de La Plata, onde é professora adjunta de Filologia Hispânica e dirige um projeto de pesquisa sobre Arquivos de escritores: digitalização e Internet. É curadora dos manuscritos de Manuel Puig e de Mario Bellatin, dos quais publicou manuscritos e textos inéditos. É membro do Comitê Científico do Centro de Teoria e Crítica Literária e autora de várias publicações acadêmicas. Se destacam sua participação na edição crítico-genética de El beso de la mujer araña (Col. Archivos) e os dois tomos de correspondências de Manuel Puig, Querida familia. Tomo 1: Cartas europeas y Querida familia. Tomo 2: cartas americanas (Ed. Entropía). Publicou, em 2011, o livro El diálogo interrumpido. Marcas de exilio en los manuscritos mexicanos de Manuel Puig (1974-1978).

  • Isabel Sabino (Universidade de Lisboa)
Sem título

Natural de Lisboa, é licenciada em Artes Plásticas (Pintura) pela Escola Superior de Belas Artes (ESBAL) em 1978. Professora no Ensino Básico e Secundário de 1976-1982, e no Ensino Superior: na ESBAL/FBAL desde 1982 e na ESTC (Escola Superior de Teatro e Cinema) de 2002 e 2003. Membro da Academia Nacional de Belas Artes desde 1998. Atualmente é professora Catedrática na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa (Pintura e Teorias da Pintura) e Coordenadora do Mestrado em Pintura.

  • Jean Marc Hovasse (ITEM)
hovasse2700

Antigo aluno da École Normale Supérieure de Fontenay-Saint-Cloud, Jean-Marc Hovasse é associado, doutor em letras e diretor de pesquisas no Institut de Textes et Manuscrits Modernes (ITEM/CNRS), onde é responsável pela equipe Autobiographie et correspondances. Especialista em Victor Hugo, autor de diversos artigos, prefácios e edições, ele prepara o terceiro volume de sua autobiografia para as Edições Fayard (Victor Hugo, Avant l’exil (1802-1851), 2001 ; Pendant l’exil I (1851-1864), 2008). Em dezembro de 2017 será lançado um número de Genesis especial Hugo sob sua direção.

  • Luk Van den Dries (Universidade da Antuérpia)
LukVanDenDries_foto_louise_chardon_sw_ausschnitthoch

Luk Van den Dries é professor titular de Estudos de teatro na Universidade da Antuérpia (Bélgica). Sua pesquisa trata de teatro contemporâneo, com foco em teatro pós-dramático. Ele escreveu de forma extensa sobre Jan Fabre, um dos grandes exemplos de teatro pós-dramático em Flandres. Ele também escreveu sobre representação do corpo no teatro contemporâneo e co-editou livros sobre o assunto. Outra importante linha de pesquisa é o processo criativo: as dinâmicas entre o caderno do diretor e os ensaios. Suas últimas publicações são: Marianne Beauviche, Luk Van den Dries (ed.) Jan Fabre Esthétique du paradoxe (Harmattan, 2013) ; Thomas Crombez, Luk Van den Dries (ed.) Mass Theatre in Interwar Europe (Kadoc, 2014), Luk Van den Dries : Het geopende lichaam. Verzamelde opstellen over Jan Fabre (De Bezige Bij, 2014), Thomas Crombez, Jelle Koopmans, Frank Peeters, Luk Van den Dries, Karel Van Haesebrouck : Theater. Een Westerse geschiedenis. (Lannoo Campus, 2015).

  • Marcos de Moraes (IEB-USP)
maxresdefault.jpg

Possui graduação em Letras (Linguística, Português e Francês) pela Universidade de São Paulo (1991), mestrado em Literatura Brasileira pela Universidade de São Paulo (1997) e doutorado em Literatura Brasileira pela Universidade de São Paulo (2002). Atualmente é pesquisador e docente do Instituto de Estudos Brasileiros da Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Historiografia Literária Brasileira, desenvolvendo pesquisas nos seguintes campos: epistolografia brasileira, memorialismo brasileiro, modernismo brasileiro, obra de Mário de Andrade, crítica genética e textual. Membro da Equipe Mário de Andrade, no Instituto de Estudos Brasileiros.

  • Max Hidalgo (Universitat de Barcelona)
maxhidalgo

Professor do Departamento de Teoria da Literatura e Literatura Comparada da Universitat de Barcelona (UB). Licenciado em Jornalismo pela Universitat Autonòma de Barcelona (UAB) e em Teoria da Literatura e Literatura Comparada pela UB, cursou o mestrado em Lettres, Arts et Pensée Contemporaine na Université Paris VII (Denis Diderot), onde apresentou, sob orientação de Julia Kristeva, a pesquisa “Le sujet du langage dans l’œuvre de Samuel Beckett”. Obteve o título de doutor em 2013 na UB com a pesquisa “El problema de la escritura en el campo intelectual francés (1945-1975)”. Realizou estágios de pesquisa na Universidad de Rosario (2013), na Harvard University (2016) e na Universidade de São Paulo (2015 e 2017), na qual também ofereceu disciplinas de Pós-Graduação sobre José Bergamín como professor convidado. Co-dirige a revista Puentes de crítica literaria y cultural.

  • Phillipe Willemart (USP)
Philippe Willemart

Philippe Léon Marie Ghislain Willemart, nascido em Péruwelz (Bélgica), emigrou para o Brasil em 1966. De nacionalidade belga e brasileira, introduziu a crítica genética no Brasil e favoreceu assim o interesse da crítica literária e artística para os manuscritos, os croquis, os esboços e o que antecede a obra editada ou exposta. No decorrer do primeiro Congresso dos Pesquisadores em Crítica Genética em 1985 na Universidade de São Paulo, com os colegas Telê Ancona Lopez e Roberto Brandão, propôs a fundação da Associação dos Pesquisadores em Crítica Genética (APCG). Ele é também reconhecido como quem relançou a crítica literária proustiana pela publicação de suas obras sobre Em busca do tempo perdido e pela coordenação do projeto brasileiro de transcrição dos cadernos proustianos ligado ao projeto internacional coordenado por Nathalie Mauriac do Institut dos Textes e Manuscrits Modernes (ITEM-CNRS).

  • Tiphaine Samoyault (Université Paris 3)
22272_samoyault_thiphanie14adicrollalanza

Tiphaine Samoyault é professora de literatura geral e comparada na Universidade Sorbonne Nouvelle. Escritora e crítica literária, ela publicou várias narrativas e ensaios e dedica sua última obra a Roland Barthes, biografia publicada pelas Edições Seuil em janeiro de 2015.


Anúncios